ADVISIA Analytics avalia o impacto das alterações de limite de velocidade e fiscalização na segurança do trânsito da cidade de São Paulo

Skyline - Marginal Pinheiros

A maior polêmica após a eleição de João Doria Junior como prefeito da cidade de São Paulo é sobre a alteração dos limites de velocidade das vias da cidade, em especial das Marginais dos Rios Pinheiros e Tietê.

O prefeito anterior, Fernando Haddad, durante a sua gestão realizou redução da velocidade de diversas vias na cidade. A pista expressa da Marginal Pinheiros, por exemplo, teve o limite de velocidade reduzido de 90 Km/h para 70 Km/h, enquanto que na pista local passou de 70 Km/h para 50 Km/h.

O prefeito eleito já declarou que a partir de 25 de janeiro os limites das Marginais voltarão a ser próximos ao que eram antes: em linhas gerais 90 Km/h nas vias expressas e 60 Km/h nas vias locais, fora as exceções.

No entanto, ONGs e outros grupos criticam a posição de João Dória. Criaram uma petição on-line contra a medida, alegando que o trânsito se tornou mais seguro após as reduções de velocidade, já que o número de pessoas mortas em acidentes apresentou queda. A prefeitura, inclusive, brigava na justiça no dia 24 de janeiro para garantir o direito de aumentar novamente os limites de velocidade, já que havia uma liminar suspendendo a medida prometida para o dia 25, aniversário de 463 anos da cidade.

Um dos argumentos de quem é a favor da retomada dos limites de velocidade é que a redução do número de mortes em acidentes de trânsito se deveu mais à crise econômica, que fez com que o fluxo de carros diminuísse. Muitos dizem, ainda, que a verdadeira intenção da prefeitura ao reduzir as velocidades das vias seria aumentar o faturamento com multas de trânsito, o que seria corroborado pelo expressivo aumento do número de radares na cidade.

Com base em informações públicas, conduzimos análises descritivas para, de forma imparcial, avaliar o real impacto das alterações de limite de velocidade na segurança do trânsito da cidade e a evolução das infrações de trânsito.

Número de mortes em acidentes de trânsito

As reduções de limite de velocidade nas Marginais tiveram início em julho de 2015. Avaliamos os indicadores no primeiro semestre de 2015 (pré alteração dos limites de velocidade) e comparamos com os números do primeiro semestre de 2016 (pós alteração dos limites). Ao comparar os mesmos meses em 2015 e 2016 garantimos não haver nenhum efeito de sazonalidade que pudesse distorcer os resultados.

Para isolar o efeito da crise econômica que pode ter reduzido o fluxo de veículos de 2016 em relação a 2015, usamos como grupo de controle as mesmas estatísticas nos mesmos períodos para o estado de SP e para grandes cidades do estado.

Como resultados, verificamos que as mortes nas Marginais Pinheiros e Tietê apresentaram uma queda de 60% de 2015 para 2016, após a implementação dos novos limites de velocidade. Nesse mesmo período, as mortes em acidentes de trânsito no estado de SP apresentaram queda de apenas 4%. Se considerarmos apenas as grandes cidades do estado, a queda é de 10%.

 

cidade SP

 

estado SP

Como o número de mortes em acidentes nas Marginais Pinheiros e Tietê é baixo em comparação com o total no estado de SP, não temos amostra estatisticamente relevante para afirmar com certeza que a queda do número de mortes foi de 50% (60% descontado o efeito do grupo de controle). Porém, temos indícios suficientes para afirmar que após a redução dos limites de velocidade houve uma redução significativa no número de mortes em acidentes de trânsito nas Marginais Pinheiros e Tietê.

É importante lembrar que as reduções de velocidade na cidade de São Paulo não ficaram restritas apenas às Marginais. Se analisarmos o mesmo indicador para a cidade como um todo (excluindo as marginais), a queda de um ano para o outro foi de 19%, número bem mais próximo à queda verificada nas demais grandes cidades, mas ainda com uma sensível melhora.

Evolução das infrações de trânsito

Em paralelo com as medidas de redução dos limites de velocidade, a prefeitura aumentou também a fiscalização sobre os motoristas, principalmente a partir de março de 2015.

O número de multas mensais girava em torno de 700 a 800 mil entre o fim de 2014 e início de 2015. A partir de março de 2015 atingiu o patamar de 1 milhão de multas por mês e durante o primeiro semestre de 2016 já superava o número médio de 1,3 milhão de multas por mês.

Evolução multas_v2

Parte desse aumento é explicado pelo número de radares em operação na cidade, que passou de 600 no final de 2014 para cerca de 800 em abril de 2015 e cerca de 1.200 em abril de 2016, ou seja, o dobro do que havia em 2014.

O impacto financeiro estimado em arrecadação é da ordem de R$ 60 milhões mensais. Apenas com multas de radares eletrônicos, a prefeitura arrecadava cerca de R$ 50 milhões mensais entre fim de 2014 e início de 2015. Nos primeiros 5 meses de 2016 a arrecadação foi próxima a R$ 110 milhões mensais.

Radares e arrecadação_v2

Conclusão

Tudo indica que as reduções das velocidades nas vias da cidade em conjunto com o maior rigor da fiscalização sobre os motoristas, medidas polêmicas adotadas pelo ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad, trouxeram aumento significativo na segurança do trânsito, o que é refletido na redução do número de mortes, especialmente nas Marginais Tietê e Pinheiros.

O efeito dessas medidas não se limita apenas à segurança do trânsito, mas também no bolso da prefeitura e dos cidadãos, já que houve um incremento estimado da ordem de 120% na arrecadação mensal da prefeitura com infrações de trânsito, de cerca de R$ 50 milhões no início de 2015 para mais de R$ 100 milhões no início de 2016, considerando apenas as multas eletrônicas.

O prefeito eleito, João Doria, promete o retorno dos limites das Marginais Tietê e Pinheiros para valores semelhantes aos anteriores às medidas de Haddad à partir de 25 de janeiro, mas deverá manter o rigor na fiscalização. Atualizaremos as análises quando houver dados suficientes para constatar os efeitos do retorno dos limites de velocidade aos patamares originais com a manutenção do rigor na fiscalização.

 

Curiosidades

Alguns fatos curiosos verificados durante as análises:

1. A redução do número de mortes em acidentes de trânsito nas Marginais Tietê e Pinheiros foi muito mais significativa em atropelamentos do que em vítimas nos veículos:

Atropelamentos vs veículos

 

2. Os radares multam em média cerca de 30 veículos por dia, e esse número é razoavelmente estável ao longo do tempo:

Multas por radar por dia _ v2

3. De 2014 para 2016 as multas de avanço do sinal vermelho, conversão em local proibido e excesso de velocidade entre 20% e 50% foram as que apresentaram maior aumento proporcional. Já as multas de rodízio foram as que apresentaram maior queda proporcional:

Mix de multas_v2

 

4. Os radares campeões de multas em 2016 foram na Av. Morvan de Figueiredo (pista local da Marginal Tietê, logo após Ponte da Vila Guilherme), Av. Assis Chateaubriand (alça da Ponte das Bandeiras) e Av. dos Bandeirantes (próximo à Av. Washington Luis), todos apresentando média de mais de 500 multas por dia:

Radar Multas por dia
1 – Av. Morvan Dias de Figueiredo,  3 m depois da R. Amazonas da Silva 1.023
2 – Av. Assis Chateaubriand (A. Senna/C. Branco), alça da Ponte das Bandeiras 595
3 – Av. dos Bandeirantes (Marginal/Imigrantes), 34 m depois da Av. Washington Luis 521
4 – Rod. dos Imigrantes (Santos/Sao Paulo), 1.200 m antes da Rua Guaratu 472
5 – Rod. Presidente Dutra , 75 m antes da Pte. Pr. J. Quadros 409

 

Raio X das multas

Verifique você mesmo a evolução dos diferentes tipos de multas por mês:

Fontes: Painel Mobilidade Segura – Prefeitura de São Paulo, Relatório anual Acidentes de Trânsito Fatais – CET, INFOSIGA SP – Governo do Estado de SP, Análises ADVISIA Analytics

 

Deixe uma resposta